Como a Fraterna surgiu?

Um grupo de jovens que compunha a MOCIDADE ESPÍRITA DA LAPA e participantes do coral, passou a se reunir no final do ano de 1966, na casa de um de seus componentes (Srta. Levaldina), na Rua Dronsfield, 253 – fundos, com o objetivo de constituir uma nova Casa Espírita.

Em 14/01/1967 ocorreu a reunião formal para a constituição dessa nova Casa Espírita, que se iniciou às 21:00h com a prece de abertura proferida pelo Sr. Pedro Rodrigues. A reunião aconteceu na casa do Sr. Bráulio Fantinato, à rua Sepetiba, 896 – Vila Romana, com a presença das seguintes pessoas: Bráulio Fantinato, Conceição Liberato, Yndayá Mendes Amaral de Castro, Antonio Sérgio de Souza, Brandina Fantinato, Terezinha Canali, Albano Fantinato, Pedro Canali, Jonas Batista de Carvalho, Lauro Rosa, Pedro Rodrigues, Maria Antonio Damasceno, Ana de Souza Canali e Levaldina Barboza do Nascimento.

Passou-se a estudar inicialmente o nome a ser dado à Casa Espírita que acabava de ser constituída. As sugestões foram: “SOCIEDADE ESPÍRITA FRATERNA”; “SOCIEDADE ESPÍRITA “EM BUSCA DA PAZ”” e “SOCIEDADE ESPÍRITA “NA SEARA DO MESTRE”. Acabou por ser escolhido, em caráter provisório, o nome de “SOCIEDADE ESPÍRITA FRATERNA”.

Na reunião seguinte ocorrida em 29/01/1967, já se somavam novos componentes para a efetiva constituição da nova Casa Espírita, como: Lauro Rosa, Otávio Alvarez, Marinalva de Souza, Nelson do Amaral. A reunião aconteceu na rua Dronsfield, 253 – fundos, casa da Sra. Levaldina. Decidiu-se por alugar um imóvel na rua Tito, 1721 – Lapa, para ser a sede da nova sociedade.

Naquela mesma reunião foi eleita a 1ª. Diretoria Provisória da “SOCIEDADE DE ESTUDOS ESPÍRITAS FRATERNA”, que ficou assim composta: Presidente: Jonas Batista de Carvalho; 1º. Secretário: Antonio Sérgio de Souza; 2º. Secretário: Levaldina Barboza do Nascimento; Tesoureiro: Pedro Rodrigues.

Novos membros se somavam à FRATERNA. Na 3ª. reunião, em 11/03/1967 estavam também presentes: Álvaro Manso Félix, Aparecida Magali de Souza, Iracema Rampazzo, Luiz Rampazzo e Iolete Della Guardia. Ainda, foi eleita a Diretoria oficial da sociedade, que ficou assim composta: Presidente: Bráulio Fantinato; Vice-Presidente: Nelson do Amaral; 1º. Secretário: Antonio Sérgio de Souza; 2º. Secretário: Aparecida Magali de Souza; 1º. Tesoureiro: Pedro Rodrigues; 2º. Tesoureiro: Luiz Rampazzo; Departamento de Mocidade: Levaldina Barboza do Nascimento; Assistência Social: Yndayá Mendes Amaral de Castro; Artístico Social: Alceu Wedekin Trindade.

 No final da reunião acontecida em 02/04/1967, quando foi deixada a palavra livre, Alceu Wedekin Trindade sugeriu que o nome da sociedade, até então SOCIEDADE DE ESTUDOS ESPÍRITAS FRATERNA, fosse modificado para SOCIEDADE FRATERNA DE ESTUDOS ESPÍRITAS, nome mantido até hoje. A sugestão foi aceita por todos os presentes.

 Ao final do 1º. ano de vida Sociedade Fraterna de Estudos Espíritas o número de colaboradores já era grande e a atividade do coral e do grupo de teatro formado na Casa era intensa. No final do ano de 1969 os trabalhadores da casa programaram um grande show para o dia 25/01/1970, com o objetivo de angariar recursos visando conseguir a sede própria. A “Campanha Pró Sede Própria” estava lançada.

Enquanto o sonho da sede própria não se tornava realidade a FRATERNA mudou-se para imóvel de propriedade do Sr. Gino Rossi, situado na rua quatorze, nº 13-C, na Vila São José, em Pirituba. Os trabalhos de assistência espiritual, assistência social, estudo da Doutrina, divulgação e parte artística continuavam intensos.

Um episódio interessante aconteceu em outubro de 1971, ficando claro que Bezerra de Menezes, o Kardec Brasileiro, acompanhava de perto o destino desta casa de luz que nos abriga em nome de Jesus, para que perpetuasse a saga de caridade que nasceu em 14/01/1967. Naquela data o Conselho da Fraterna elegeu um novo presidente que se recusava assumir o cargo, uma vez que havia anunciado anteriormente que não desejava nem mesmo algum cargo de Diretor em nossa Casa. O motivo alegado era o da incompatibilidade com os frequentadores da casa, acreditando ele que o fim da Fraterna era iminência. Aqueles que o haviam conduzido ao cargo lhe deram o prazo de 30 dias para pensar e somente ai aceitar ou recusar o cargo.

Como todas as Casas Espíritas são coordenadas do Plano Espiritual para o mundo físico, os espíritos dirigentes da Fraterna fizeram com que o presidente eleito e não assumido viajasse até Uberaba, em visita a CEC – Comunhão Espírita Cristã, onde atuava o famoso médium Francisco Cândido Xavier e através de Chico Xavier foi psicografada uma mensagem de Bezerra de Menezes, “o Kardec brasileiro”, endereçada ao tal presidente.

 A mensagem pediu que ele assumisse seu cargo, pois era sua obrigação de momento. O presidente assumiu, a Fraterna adquiriu nova dinâmica, ganhando corpo a campanha da sede própria, cuja inauguração deu-se no mês de agosto de 1974.

 No primeiro semestre do ano de 1972 as obras de construção da sede própria da FRATERNA se iniciavam com a construção de um poço, pois a região não era servida por água encanada. Começava a ser erguida, finalmente, a nossa sede, com a participação ativa de Ivanir do Carmo Caurim, cujos alicerces começaram a ser erguidos em 7 de setembro daquele ano. E os eventos visando à construção continuavam: bingos, feijoadas, chás.

 Em abril de 1973 a sede já se encontrava em fase final de construção. Para conseguir novos recursos para a finalização, o grupo artístico da FRATERNA realizou um evento de grande porte no Clube da Saudade da Lapa. Os colaboradores buscavam doações de tecidos para a confecção das cortinas a serem colocados no novo imóvel, tendo sido lançada, também, a “Campanha das Cadeiras”.

 Às vésperas da inauguração da nossa sede, em reunião de diretoria acontecida em 26/03/1974, apresentou-se uma entidade de nome Célio, deixando uma mensagem de otimismo a todos, pedindo total confiança nos amigos espirituais, mentores de nossa Sociedade.

 Naquela mesma data, 26/03/1974, o Sr. Luiz Rampazzo informou da possibilidade da FRATERNA ganhar cadeiras que estavam sendo dispensadas por um cinema na Vila Carrão. As cadeiras foram efetivamente ganhas e permaneceram no salão “André Luiz”, de nossa Sede, até a poucos anos. Finalmente ficou marcada a data da inauguração de nossa sede – dia 25 de agosto de 1974, pelo então presidente de nossa sociedade, Sr. Ivanir do Carmo Caurim.

 Finalmente o sonho se materializa. Dia 25 de agosto de 1974, as 17:00h se inicia a solenidade de inauguração de nossa sede. O Sr. Luiz Rampazzo é o apresentador; o coral da FRATERNA, sob a regência do Sr. Alceu apresenta diversos números musicais. São convidados a compor a mesa o Sr. Humberto Rotandaro, presidente do Centro Espírita Irmão Itajubá, e o Sr. Valentim Lorenzzeti, o orador convidado para a inauguração.

Como gratidão são entregues livros espíritas a todos que cederam suas residências para a realização dos eventos que possibilitaram a construção. Um agradecimento especial foi dirigido ao Sr. Gino Rossi, que por vários anos cedeu sua própria residência para o funcionamento da FRATERNA.

 Durante todo o tempo em que a construção da Sede própria foi assunto relevante, de forma nenhuma a FRATERNA se descuidou de suas reais atividades: a divulgação da Doutrina Espírita, o estudo sistemático das obras da codificação, os atendimentos social e espiritual.
Começava naquele mesmo ano, 1974, visita ao Leprosário Santo Ângelo e atualmente, são realizadas visitas esporádicas ao Hospital Francisco Ribeiro Arantes, colônia de hansenianos de Pirapitingui.

 As lutas continuaram e a ampliação das dependências da nossa sede aconteceu para melhor atender a todos os que buscam o atendimento em nossa Casa Espírita. A frequência vem sempre aumentando, razão pela qual os trabalhadores da FRATERNA tem procurado desempenhar suas atividades com muito amor e dedicação.

Em 2018, sob o comando de Mauro Souza, presidente na época, Edy Tavares, diretora de eventos, em parceria com os demais diretores, lançou uma Campanha com o nome Campanha Renovação (criação do nome e logotipo efetuado pelo então, diretor de Ensino da época, Flori Alves). O objetivo da campanha foi ampliar o pé direito do salão principal, além de reformar o telhado.

Foram criados vários eventos: Baile Flash Back, Noite de Caldos, Bingos e etc. Os eventos foram um verdadeiro sucesso, fazendo-se concretizar o sonho dos dirigentes anteriores.

Hoje somos cerca de 200 trabalhadores e antes da pandemia, tínhamos uma frequência semanal de 300 pessoas na Casa, distribuídas às segundas-feiras, às terças-feiras, às quartas-feiras, às quintas-feiras e aos sábados.

O curso da Doutrina Espírita acontece às segundas-feiras às 20h e aos sábados realizamos um trabalho ativo com as crianças carentes, para ensinar a prática do evangelho e suas famílias recebem mensalmente, uma cesta básica.

E tudo isto começou com um grupo de jovens, participantes de um coral na Mocidade Espírita da Lapa. Alguns deles já empreenderam a viagem de retorno à pátria espiritual, enquanto que outros, permanecem nas lidas do corpo físico. Mas uma coisa é inegável: todos eles estão bem perto de nós, pois o que outrora foi apenas um sonho, hoje é uma grande realidade.

FRATERNA: o lar de todos nós.

sunflower-450231_1920.jpg
unnamed_edited.jpg